Ó PESSOAL...

...Visitem-se uns aos outros...cliquem nos cartões e conheçam os outros sócios.
Não deixem também de ver as publicações anteriores. Há sempre coisas interessantes que por vezes nos passam ao lado...

LEIAM E ENTENDAM!

Pedido de ajuda - Casa de Santa Isabel

A Quinta do Formigo em São Romão, um local de grande harmonia natural, onde se encontra a Casa de Santa Isabel (uma comunidade terapêutica para crianças, adolescentes e adultos com necessidades especiais) está neste momento a correr o risco de desaparecer. Isto porque as Estradas de Portugal e a Câmara Municipal de Seia pretendem criar um troço de ligação entre Seia e a Serra da Estrela que separará as diversas residenciais da Casa de Santa Isabel, além de acabar com o belo espaço que a natureza dá naquele local.
Assim, venho por este meio pedir-vos que assinem a petição contra esta obra, para o bem das pessoas da Casa de Santa Isabel e do povo de São Romão. Para isso basta acederem ao seguinte site:
http://www.petitiononline.com/formigo/petition.html,
http://www.casa-santa-isabel.org/

Obrigado
Metamorfosesvividas.blogspot

terça-feira, 3 de maio de 2011

Aniversario da G

A G esteve de parabéns este foi o primeiro presente que recebeu, será que podem imaginar o que se passou depois.












Deixamos as duvidas no ar.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

SECRETÁRIA ANTIGA-PERITO PROCURA-SE!!

Tenho uma pessoa interessada em comprar-me esta secretária. Pediu que lhe informasse quanto quero por ela, mas eu, não faço a mínima ideia de quanto possa valer esta peça. Haverá por aqui alguém que me possa dar uns palpites?





terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Aloé Vera: Inúmeras Propriedades Medicinais


Categorias: Aromáticas & Medicinais, Featured
Tags: ,


No processo de escolha da planta do mês sinto por vezes que muita coisa fica por dizer acerca da maioria das plantas e decididamente algumas mais que outras. É este o caso do Aloes sobre o qual há tanta coisa para dizer. Tentarei portanto apelar à minha capacidade de síntese.
História

O Aloe é uma planta suculenta originária da África do Sul, da Província do Cabo, da África Tropical e de Madagáscar onde algumas espécies correm sérios riscos de extinção. Existe ainda na Península Arábica, e Antilhas mas é hoje plantado um pouco por todo o mundo, onde é muito apreciado e utilizado devido aos seus múltiplos usos internos e externos. Quando cultivado em climas temperados, é necessário protegê-lo da geada. Dá-se muito bem em vasos, como planta de interior. Existem cerca de 400 variedades de Aloes, uma das variedades era já conhecida nos tempos bíblicos onde era utilizada na extracção de madeira. Na Malásia e Índia é utilizada uma outra variedade no fabrico de incenso. Nos países islâmicos simboliza a paciência. Era conhecida dos Gregos e Romanos e diz-se que Cleopatra utilizava as folhas frescas diariamente nos seus tratamentos de beleza. A variedade que aqui nos interessa é Aloe vera ou Aloe barbadensis. O Aloes do Cabo, ou Aloe ferox, é muito cultivado nas Antilhas. No Brasil é conhecida por babosa. O Aloes envasado tem um teor mais baixo de antraquinonas (aloína).

Descrição botânica

O Aloe vera é uma das cerca de 400 variedades do Aloe. Foi durante muito tempo considerada da família das Liliáceas, mas estudos recentes classificam-na como pertencente à famílias das Asphodeláceas. É uma planta vivaz, de folhas suculentas, longas e espessas, de cor verde claro. Atinge cerca de 60 centímetros de altura, espigão com flores amarelas ou laranja. Resistente às secas e sensível às geadas. Gosta de solos secos e bem drenados. É também conhecida como Cacto-dos-Aflitos e Cura-Câncros.

Composição

Traquinona (aloína e aloe-emodina), mucilagem, resinas, taninos, polisacáridos, aloectina-B, cálcio, fósforo, cobre, magnésio, ferro, potássio, zinco, vitaminas A, B1, B5, B6 e B12, C. Ácidos gordos (gamalinoleicos), prostanglandinos que ajudam a diminuir a inflamação e aumentam o poder cicatrizante das feridas.

Propriedades

Externamente é utilizado fresco e directamente sobre a pele no alívio de queimaduras solares e outras, incluindo queimaduras de radiação devido à sua acção refrescante, anti-inflamatória e regeneradora do tecido celular restituindo rapidamente os líquidos nas três camadas dérmicas, aliviando a dor e nutrindo a pele devido à sua riqueza em aminoácidos e vitaminas. Utiliza-se ainda em picadas de insectos e feridas várias, como cicatrizante, anti-bacteriano e antiviral. De um modo geral alivia quase todos os problemas de pele que requeiram um remédio calmante e adstringente, como por exemplo em casos de varizes. É um excelente regenerador celular acelerando o crescimento de novas células eliminando as velhas, por isso tem sido utilizado com sucesso na cura de vários câncros de pele e outros. É vaso-dilatador, dilatando os capilares, e aumentando o fluxo sanguíneo. É útil no tratamento do reumatismo e artrite. Úlceras pépticas e estomacais, hipertensão, pé-de-atleta (antifungico), anemia e acne. É ainda utilizado para aliviar aftas e doenças das gengivas, verrugas e estrias.

A melhor forma de utilizar o Aloe vera é cortar uma folha na longitudinal, abrindo-a, e aplicar o gel transparente sobre a pele ou couro cabeludo, tendo o cuidado de não utilizar a parte amarela da base da folha que é muito amarga e pode causar irritação da pele em pessoas mais sensíveis. O resto da folha que não se utilize pode ser guardado no frigorífico ou congelador e utilizado como emplastres frescos. Conservam-se assim vários meses quando cortado na perpendicular à folha.
Para uso interno, é necessário ter muito cuidado e seguir aconselhamento médico, pois existem muitas adulterações no mercado. Estas adulterações existem sobretudo nos produtos utilizados nas extracção e estabilização do gel. Este gel amargo é um potente laxativo, causando contracções do cólon, e originando movimentos intestinais 8 a 12 horas após a sua ingestão. Em doses baixas estas propriedades amargas estimulam a digestão e em doses altas são purgantes.

Cosmética

O Aloe é muito utilizado em cremes de beleza e shampoos, mas aqui mais uma vez é necessário ter a atenção as marcas. O melhor mesmo é ter sempre à mão uma planta e utilizá-la fresca.

Contra indicações

O Aloe não deve ser consumido internamente durante a gravidez dadas as suas características purgativas. Também não deve ser utilizado em caso de hemorróidas ou doenças renais.
(Inf.Net)

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

1568, 1569, A Maresia e o Sargaço dos Dias

Luísa Dacosta
Poesia
Prosa

Col.
Frente
e Verso

Uma flor de silêncio
sela a minha boca.
Um peso de chumbo
aprisiona os meus gestos.


Só o voo dos meus olhos
te persegue
e tenta
trazer-te até mim.

1566, 1567 José Jorge Letria

Poesia
Prosa

Livro duplo
Col. frente e verso

30jan2011
of do livro

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

UM CÊ A MAIS




"Um cê a mais", Manuel Halpern


Quando eu escrevo a palavra ação, por magia ou pirraça, o computador retira automaticamente o c na pretensão de me ensinar a nova grafia.De forma que, aos poucos, sem precisar de ajuda, eu próprio vou tirando as consoantes que, ao que parece, estavam a mais na língua portuguesa. Custa-me despedir-me daquelas letras que tanto fizeram pormim. São muitos anos de convívio. Lembro-me da forma discreta e silenciosa como todos estes cês e pês me acompanharam em tantos textos e livros desde a infância. Na primária, por vezes gritavam ofendidos na caneta vermelha da professora: não te esqueças de mim! Com o tempo, fui-me habituando à sua existência muda, como quem diz, sei que não falas, mas ainda bem que estás aí. E agora as palavras já nem parecem as mesmas. O que é ser proativo? Custa-me admitir que, de um dia para o outro, passei a trabalhar numa redação, que há espetadores nos espetáculos e alguns também nos frangos, que os atores atuam e que, ao segundo ato, eu ato os meus sapatos.
Depois há os intrusos, sobretudo o erre, que tornou algumas palavras arrevesadas e arranhadas, como neorrealismo ou autorretrato. Caíram hifenes e entraram erres que andavam errantes. É uma união de facto, para não errar tenho a obrigação de os acolher como se fossem família. Em 'há de' há um divórcio, não vale a pena criar uma linha entre eles,porque já não se entendem. Em veem e leem, por uma questão de fraternidade, os és passaram a ser gémeos, nenhum usa chapéu. E os meses perderam importância e dignidade, não havia motivo para terem privilégios, janeiro, fevereiro, março são tão importantes como peixe, flor, avião. Não sei se estou a ser suscetível, mas sem p algumas palavras são uma autêntica deceção, mas por outro lado é ótimo que já não tenham.
As palavras transformam-nos. Como um menino que muda de escola, sei que vou ter saudades, mas é tempo de crescer e encontrar novos amigos. Sei que tudo vai correr bem, espero que a ausência do cê não me faça perder a direção, nem me fracione, nem quero tropeçar em algum objeto abjeto. Porque, verdade seja dita, hoje em dia, não se pode ser atual nem atuante com um cê a atrapalhar.
(Recebido por e-mail)